Festival Se Rasgum traz programação gratuita na Estação das Docas

Postado em 16 de novembro de 2017 por Gustavo Aguiar em Sem categoria

Texto: Juliana Camargo / Assessoria de Imprensa do 12º Festival Se Rasgum

Terceiro dia de shows do festival terá o aguardado show da banda Francisco El Hombre

O terceiro dia de shows da 12ª edição do Festival Se Rasgum continua hoje (16), a partir das 17h, na Estação das Docas, com as apresentações de Juliana Sinimbú, Baile do Mestre Cupijó e Francisco El Hombre. A entrada é gratuita. A programação terá continuidade com o show da banda paulista Terno Rei, às 1h, no Ziggy Hostel Club, em festa dedicada ao selo Balaclava Records. Este ano o festival tem patrocínio máster da Oi, com apoio cultural do Oi Futuro, através da Lei Semear, além do patrocínio do Banco da Amazônia pela Lei Rouanet e co-patrocínio da Faculdade Estácio, através da Lei Tó Teixeira. A TV Liberal é o veículo oficial do evento.

A partir das 20h, a cantora e compositora Juliana Sinimbú entra no palco da Estação para mostrar canções de seu mais recente disco, “Sobre amor e outras viagens”. Apesar de já ter se apresentado no festival, esta é a primeira vez que a artista tocará repertório completamente autoral. “É de uma felicidade sem tamanho poder participar do maior festival do Norte, em um dia que é gratuito ao público e ter essa chance de mostrar esse novo trabalho, ao qual me dediquei intensamente. Tem tudo para ser uma oportunidade incrível”. O público pôde conferir um pouco deste repertório durante o Drops Se Rasgum, programação que serviu de introdução ao festival, na qual a cantora se apresentou em show acústico e intimista.

Às 21h é a vez do Baile do Mestre Cupijó, projeto em homenagem ao músico cametaense, que em junho reuniu artistas como Dona Onete, Felipe Cordeiro, Kim Marques e instrumentistas locais para gravação de um CD e DVD. No show desta quinta, onze músicos (entre eles, JP Cavalcante e Kleyton Silva) se reúnem no palco para tocar as músicas do artista que reinventou o siriá incluindo instrumentos de sopro e em um ritmo mais acelerado ao estilo musical.

Fechando a noite no palco da Estação das Docas, às 22h, terá o aguardado show do grupo Francisco El Hombre, formado pelos irmãos mexicanos radicados no Brasil Mateo e Sebastián Piracés-Ugarte e os brasileiros Andrei Martinez Kozyreff, Rafael Gomes e Juliana Strassacapa. A banda mistura rock com ritmos latinos, influenciada pelos sons do Brasil e do México. Esta é a primeira vez que eles irão tocar na região norte do país, dando continuidade a turnê “Tá com dólar, tá com Deus”. “Estamos em uma turnê que já passou pelo Rio de Janeiro e o Nordeste. Esperamos levar toda essa energia boa que absorvemos nos últimos dias. Faz tempo que sonhávamos em tocar no Se Rasgum, é um sonho que está se concretizando”, diz Mateo.

A programação do dia se encerrará no palco do Ziggy Hostel Club, em festa dedicada ao selo musical paulista Balaclava, com discotecagem de Fernando Dotta e Rafael Farah (diretores do selo) e show da banda paulista Terno Rei. Formado em meados de 2011 por Bruno Rodrigues, Gregui Vinha, Luis Cardoso, Victor Souza e Ale, o grupo une rock alternativo com música brasileira e tem dois discos lançados pelo selo.

LabSonica – Paralelamente as apresentações, o festival está promovendo o Music on the Table, programação com uma série de palestras, workshops e lançamento de livro para participação gratuita do público. Entre elas está o painel sobre o programa LabSonica, um laboratório de experimentação sonora e musical do Instituto Oi Futuro no Rio de Janeiro, que viabilizará editais de patrocínio direto e indireto para músicos e profissionais que trabalham com arte sonora. A palestra será realizada nesta quinta-feira (16), às 16h, no Ziggy Hostel Club, com a presença de Luciana Adão e Zelia Peixoto, ambas da Oi Futuro.

O evento é uma oportunidade para conhecer mais sobre o espaço criado para estimular a criatividade no campo da música e som. Músicos, desenvolvedores, pesquisadores, além de coletivos e artistas que trabalham com arte sonora terão um espaço na capital carioca com salas de ensaio, oficinas, auditórios e estações de trabalho, como explica Roberto Guimarães, gestor de cultura da Oi Futuro. “Por se caracterizar como um programa e não só um projeto pontual, as diversas atividades do LabSonica poderão acontecer para além do espaço físico. Elas poderão ocorrer em festivais de música, por exemplo, por todo o país, assim como em cursos e mentorias que estamos pensando realizar através de plataformas de ensino à distância”, conta.

Um dos trunfos do programa – e que profissionais paraenses da área poderão se beneficiar – é a viabilização de patrocínio direto para projetos no país inteiro. Segundo Roberto, até o segundo semestre de 2018 serão lançados diversos editais de patrocínio direto, de ocupação e via leis de incentivo. “A iniciativa reafirma a nossa crença no valor e na potência das ideias coletivas – e não somente das individuais – na reaproximação das pessoas, no estímulo a troca e no compartilhamento de vivências, reverberando arte para espaços públicos nas cidades”.

A programação do Music on the Table desta quinta-feira ainda conta o workshop “Noções Básicas de Áudio para Produtores Culturais”, às 14h30, no Casarão Floresta Sonora, e o painel “Música e a Cidade”, às 17h, no Ziggy Hostel Club. Assim como no ano passado, o Music on The Table está sendo realizado em diversos pontos da cidade, como Solar Colaborativo, Ziggy, Sesc Boulevard, Casarão Floresta Sonora e Aliança Francesa. A programação completa, que segue até sexta-feira (17), pode ser conferida no site serasgum.com.br/festival.