Marca paulista fecha parceria com o Festival Se Rasgum

Postado em 26 de setembro de 2018 por Juliana Camargo em Seletivas, Sem categoria

Um dos prêmios conquistados pelo grande vencedor das Seletivas Se Rasgum 2018 é inédito na história do Festival: uma guitarra exclusivamente customizada, avaliada em cinco mil reais. Em processo de confecção, ela ganhará em breve as mãos de Pelé do Manifesto, artista que ficou em primeiro lugar nas Seletivas deste ano. Isso ocorreu graças a parceria entre a Se Rasgum com a marca RSN Guitar, de São Paulo. O modelo será uma réplica da clássica Telecaster.  

Ainda em processo de produção, a guitarra tem como matéria prima a madeira de marupá e pau de marfim e captadores Black Guard com as especificações e sonoridade iguais aos da fabricante da Telecaster, a Fender. O luthier – nome dado a quem constrói e repara instrumentos de corda – responsável pela confecção da guitarra e nome por trás da RSN Guitar é Renato dos Santos Neto.  No ramo há quatro anos, ele fecha parceria com um festival pela primeira vez. “É a primeira parceria que faço e estou muito feliz que o vencedor irá receber essa guitarra. Torço para que ela esteja junto à ele na estrada e que seja usada por muitos anos”, diz. Segundo ele, a escolha do modelo levou em consideração a história da guitarra e seu timbre, usado por um grande número de estilos musicais.  

Além da Telecaster, Renato também recria outros modelos clássicos nos mínimos detalhes estéticos. Na lista de sua produção, há réplicas de guitarras de artistas como Jimi Hendrix, John Mayer e Eddie Van Halen. De acordo com ele, o processo de produção leva em consideração o desejo e o gênero musical do cliente. Além de marupá e pau de marfin, Renato usa matérias primas como as madeiras freijó, cedro, mogno, bordo, mogno, grápia e Jacarandá da Bahia. “Mas o mais importante é saber juntar a sonoridade dessas madeiras com os captadores. Uso prioritariamente os desenvolvidos por Eduardo José Dias que os faz de forma artesanal e na área de pedais o fabricante nacional Guitartech, referência no Brasil e no mercado estrangeiro pela qualidade e sonoridade”, complementa. 

Apesar de se dedicar a recriar modelos clássicos, Renato não descarta os pedidos de clientes que já tenham desenho de guitarras ou baixos a sua preferência. A escolha do material e até mesmo indicação de pedais de efeito seguem a preferência do cliente. Por isso, diz ele, o preço de uma guitarra feita por um luthier não dever ser comparado a produção de larga escala produzida na China. “Um luthier demora algumas dezenas de horas para construir um instrumento que vai ser único e feito sob medida”.  

O trabalho de Renato à frente da RSN Guitar pode ser conferido nas redes sociais (Facebook e Instagram) e no site oficial da marca, onde ele mostra modelos e processos de customização. A marca atende a pessoas de todo o país e os pedidos demoram, em média, de 60 a 180 dias para serem feitos, a depender dos componentes para produção.